19.8 C
Campo Grande

Polícia Federal investiga ataque cibernético sofrido pela UFGD

- Publicidade -

O setor de Comunicação Social da Delegacia de Polícia Federal em Dourados divulgou, na manhã do dia 28/04/2022, um release informando sobre a deflagração da operação denominada “Área Restrita”, que tem como escopo apurar ataque cibernético a várias universidades federais do país, ocorrido em maio/2021. De acordo com a Polícia Federal, o ataque teve como alvos não só a UFGD, mas também as federais do Rio de Janeiro (UFRJ), Minas Gerais (UFMG), do Tocantins (UFT), de Alagoas (UFAL) e da Bahia (UFBA). Conforme a nota, a Justiça Federal de Dourados expediu um mandado de busca e apreensão, que foi cumprido na cidade de Guarulhos, no estado de São Paulo.

Em maio de 2021, ataques a sistemas de universidades foram notificados em bancos de vulnerabilidade. Ao tomar conhecimento dessas tentativas de invasão, a Divisão de Serviço e Segurança da Tecnologia da Informação da UFGD agiu preventivamente, suspendendo o acesso aos sistemas da universidade.

Alguns sistemas da UFGD ficaram fora do ar por mais de 40 dias. O ambiente chamado “Área Restrita” – onde os candidatos a concursos, seleções e processos seletivos de vestibulares fazem suas inscrições – foi identificado como área sensível, uma “porta” onde o ataque se iniciaria. Como medida de proteção, este sistema foi inteiramente refeito pelos programadores de TI da universidade, mediante uma força tarefa de seis meses de trabalho, visando atender aos inscritos do Vestibular UFGD 2022 com segurança. 

A suspensão do acesso a sistemas de uso cotidiano foi bastante prejudicial para o trabalho de docentes e técnicos da UFGD, mas esta medida drástica se mostrou estritamente necessária e relevante. Após varreduras nos sistemas da instituição, não foram detectados acesso privilegiado ou execução de código estranho. O antivírus corporativo também não identificou arquivos com assinatura de malware. Assim, com relação à UFGD, pode-se afirmar que a medida de suspender o acesso aos sistemas evitou que os dados inseridos nos ambientes computacionais sofressem alguma perda, vazamento ou alteração. 

Até o momento, alguns ambientes computacionais da UFGD continuam restritos, como o sistema onde tramitam os processos internos da instituição, chamado SIPAC. Estes sistemas estão disponíveis apenas para acesso dentro da UFGD ou através da VPN (rede de internet interna), como medida de precaução. No entanto, visando manter a transparência nas ações institucionais, todo e qualquer cidadão pode visualizar processos e documentos da universidade por meio do Portal de Serviços Públicos, criado pela UFGD no fim de 2021: https://servicos-publicos.ufgd.edu.br/


Fonte: Jornalismo ACS/UFGD

Leia também

- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade -
- Publicidade-